IMG_4344

Vale a pena ler – O Dragão de Gelo

Fazia muito tempo que eu não falava sobre G. R. R: Martin ou sobre sua obra.

Dessa vez venho falar dele e do último lançamento da Editora Leya. Estou aqui para falar um pouco sobre O Dragão de Gelo.

Adara gostava do inverno mais que tudo, pois quando o mundo esfriava, o dragão de gelo aparecia. Ela nunca teve muita certeza se era o frio que trazia o dragão de gelo ou se era o dragão de gelo que trazia o frio.

IMG_4345

Muita gente me perguntou sobre esse pequeno conto, escrito em 1980, com um interessante título.

Quando você vê um livro, escrito por Martin, que cita dragões, é impossível não fazer, ou esperar, um paralelo com As Crônicas de Gelo e Fogo. (tanto que eu já fiz um, em posts anteriores).

Sendo assim, a primeira dúvida que surge é:

O Dragão de Gelo tem ligação com Westeros ou o mundo de As Crônicas de Gelo e Fogo?

Ao que tudo indica, não.

 Ainda que o livro trate sobre reino e dragões, não há nenhuma menção ou indicação de correlação direta com As Crônicas, diferentemente dos Contos de Dunk e EggThe Queen and the Princess e outros contos de Martin.

Tanto que, esse conto foi escrito antes de Martin escrever o primeiro livro de As Crônicas de Gelo e Fogo.

 Mesmo assim, para os fãs mais ardorosos (melhor dizendo…os doidos, assim como eu) é possível traçar alguns paralelos. Mas falarei sobre isso depois.

IMG_4344

Então a pergunta que vem depois é:

Vale a pena ler O Dragão de Gelo?

Sim. Com toda certeza.

E não digo isso apenas pela qualidade do conto. Pois estamos falando de Martin e isso já diz muito.

Estou levando em consideração também a qualidade do material.

A Editora Leya, novamente, agraciou os fãs com uma edição impecável.

A Leya está, a cada publicação relacionada à obra de Martin, demonstrando um enorme respeito aos fãs.

E percebo isso desde o lançamento dos contos de Dunk e Egg aqui no Brasil.

Não sei se todos notaram, mas a Editora decidiu lançar os três contos, ao invés de um lançamento separado, como foi feito em outros lugares do Mundo.

Ou seja, o leitor brasileiro, tem O Cavaleiro Andante, A Espada Juramentada e O Cavaleiro Misterioso, tudo isso em um livro só.

Quem ainda não leu O Cavaleiro dos Sete Reinos, aconselho a ler minha resenha nesse link, e compre o mais rápido possível.

Bem… E agora vemos uma edição luxuosa do conto O Dragão de Gelo. Capa bem feita e com qualidade superior à maioria das capas que vemos por aí, e com folhas mais resistentes.

Se você quiser iniciar no mundo literário o seu filho, sobrinho, afilhado ou qualquer padawan que você cuida, o livro vai sobreviver às mãozinhas e dedinhos curiosos e sem controle das crianças mais afoitas.

Realmente é preciso agradecer a Leya por isso. A edição está linda.

Arte do livro

Temos a arte de  Luis Royo nas páginas do livro… Sim. É um livro ilustrado!

IMG_4347Para mim, é uma felicidade ainda maior.

Sempre gostei da arte de Royo… E ve-la em um livro do Martin foi inesperado e igualmente gratificante.

Versão E-book

Outro ponto positivo, interessante de se abordar, é a versão e-book.

O Dragão de Gelo foi lançado na versão E-book. Essa versão é sensacional também.

 IMG_4337

Podem ficar tranquilos… Aqueles que optarem por essa versão, serão agraciados da mesma forma com os desenhos de Luis Royo.

O e-book é ilustrado também. Eles tiveram o cuidado de levar ao leitor de e-book a obra completa.

A experiência de ler o conto com as ilustrações torna a imersão na trama ainda mais completa. E o leitor do e-book poderá ter essa experiência também.

IMG_4336

Livro vs. E-book

Sempre vejo discussões sobre qual é o melhor. Acho que são duas coisas completamente diferentes, e devem viver em harmonia esses dois veículos de disseminação de cultura.

Eu confesso que gosto de ler nas duas formas. Os livros tem aquela presença física que todos nós amamos, e…

85003154
Para comprar, clique aqui!

… para as grandes sagas, acho que ler o livro físico é mais prático, por incrível que pareça.

Mas para livros que não fazem parte de trilogia ou grandes sagas, e principalmente pequenos contos, acho que o e-book é a melhor opção.

Ultimamente estou adquirindo e-books, principalmente de pequenos contos, e estou gostando.

 IMG_4341

Quem tem Kindle, Kobo e até mesmo ipad sabe que a experiência da leitura nesses dispositivos é prática.

A História do Dragão de Gelo

O livro é bem curto.

É um pequeno conto capaz de fazer você se divertir por algumas horas. São 120 páginas que trazem as ilustrações do Royo e a narrativa de Martin.

As ilustrações combina perfeitamente com o clima proposto pelo escritor.

É como se as duas coisas, Ilustração e Escrita tivessem sido feitas uma para completar a outra.

É difícil explicar, mas vocês entenderão quando verem.

IMG_4346

O livro tem uma proposta bem diferente de As Crônicas e o considero um livro um pouco mais leve, mas não menos empolgante.

A personagem principal, Adara, conquista você após poucas linhas lidas.

Ela conquista por que é fácil se afeiçoar a ela. Duvido que ninguém nunca se sentiu como Adara em algum momento da vida. Um pouco desajustado. Aquele sentimento de não pertencer ao lugar onde vive.

Acredito que isso ajude a nos identificarmos com a pequena garota de inverno.

A leitura é rápida, divertida e o final… claro, não é dos mais felizes. Ao menos para mim, não foi.

Não vou entrar muito no tema, pois posso acabar falando sobre a trama, sem querer dar algum spoiler por aqui.

Até porque, gostei tanto do livro, que meu primeiro impulso era fazer uma critica literária mais profunda. Talvez um dia eu faça, mas só depois que os leitores do blog tiverem lido.

Em resumo, aqui veremos dragões, guerra (ou notícias sobre ela), cidades distantes e uma criança linda, loira e de olhos azuis, que parece ter uma grande alegria ao entrar em contato com o frio.

Vale muito a pena ler e ter o livro!

Ligação com As Crônicas…?

É impossível não fazer relações com a trama das Crônicas de Gelo e Fogo.

Tanto é que eu fiz uma teoria levando em consideração o Dragão de Gelo criado nessa obra.

É interessante ler para discutirmos, mas não há nenhuma base para afirmar com certeza…

Quem quiser ler, é só clicar no link abaixo.

http://www.drunkwookie.com.br/bran

A próxima obra que abordarei é a obra mais esperada do ano. O Mundo de Gelo e Fogo.

Não vejo a hora de por as mãos nesse livro.

Capa_final_Mundo-Gelo_Fogo

[wowslider id=”4″]

12 comentários sobre “Vale a pena ler – O Dragão de Gelo

  1. Tenho a impressão que aparecerá uma espécie de dragão de gelo em game of thrones , ou seja Hodor soltará potentes baforadas geladas.
    Na quarta temporada, Bran, Hodor e Meera estavam numa caverna cercada por zumbis assassinos do grande outro, então uma das poucas formas de sair de la, é voando.
    Na caverna está talvez o último deus antigo, a
    grande árvore em que esta sentado o corvo de 3 olhos. Este deus antigo tem o poder de transformar homens na vertente animal que subsiste neles, pois ha varias esqueletos em volta dela indicando que vários humanos foram transformados em corvos.
    No grande incêndio de solarestival, seguidores de R’hllor tentaram chocar ovos de dragões, mas quando no procedimento de Daenarys para chocar os 3 ovos de dragões haviam tambem humanos na fogueira. Similarmente deve ter ocorrido em solarestival em foram dados como mortos Aegon V, o pequeno Duncan e o grande Dunca. Ora, ao invés de dragões surgiram bebes humanos dragões, entre eles Hodor( o nome talvez devido ao fato de clamarem pelo nome de R’hllor na cerimônia), descendente da fusão do grande Duncan com ovo de dragão.
    Como tudo indica Bran se fundirá à grande árvore para aumentar o poder de ambos, ou seja, Bran será um represeiro.
    Hodor será transformado em dragão e transportará Meera de volta a civilização para combater diretamente o grande outro. Se esse processo de transformação ocorrer num inverno extremo poderemos ter um grande dragão de gelo desengonçado .

  2. Puxa, certamente não é uma Targaryen…… hehehehe…

    Pela resenha, tive a impressão de ser um livro meigo….. pela resenha e pela gravura no início do post…

    Um ensaio, talvez?!!! Com uma certa leveza de começo de conversa…. Acho que como o Martin escreveu este antes da sua história principal, acredito que ele deva ter começado com uma coisa mais fluida sobre o tema…

    Por isso, acho que as ilustrações são um ganho neste tipo de história.
    Acho até uma boa iniciação no gênero para os pequenos (Já tive a ideia pra um presente por aqui…. rsrsrs)

    Mas que não deixa de ser interessante pros adultos aficionados tb… Pra mim, uma história leve é bem vinda. Um balsamo para a complexidade de ASOIAF que aguardo ansiosa pelos desfechos.

    Como sempre, nice job, Drunk… 🙂

  3. Oi Leandro!

    Eu já li o conto também, mas me passaram o arquivo em e-book, mas preciso comprar. O livro é lindo, já peguei na mão, mas acabei deixando na loja. E é impossível mesmo para nós, casos de internação por excesso de GoT (HAHAHA!) não fazer um paralelo e formar teorias🙂

    Beijo!

  4. Drunkie,

    li e reli suas teorias, e adoro seu blog! Fico maluca toda vez que um livro acaba e sou do tipo que adora spoilers, teorias e afins.
    Reli os livros também para pegar detalhes perdidos, e li muitos dos comentários feitos em suas teorias sobre os próximos livros, mas como são muitos posso estar sendo repetitiva.

    Inicialmente, acho fantástica a teoria sobre os dragões de gelo. Não tinha pensado nisso, e acho muito plausível, especialmente pelas ligações de Martin com outras ficções, lendas e histórias reais.

    Mas gostaria de colocar alguns argumentos aqui:

    Desde o início Martin não nos deu muitas ilusões sobre finais felizes e românticos, aliás pra mim, Sansa e tudo que acontece com ela é uma prova disso. Portanto, acredito que os 7 reinos estão fadados ao fim. Sendo um livro de gelo contra fogo, acho que a guerra final será Starks brigando para dominar os outros e Dani se firmando com seus dragões fora de westeros, mas com uma luta final entre os dois.

    Dani odeia os Stark como odeia Leões a quem ela chama de “cães do usurpador” não creio que ela vá aceitar qualquer Stark de bom grado, sem antes ter um bom motivo para.

    Também acredito que Jon não tenha morrido, espero que não, e acho que ele será peça chave na estória, mas tenho dúvidas sobre as profecias. Acho que elas na melhor das hipóteses podem ser mal interpretadas. Caso contrário, como se explicaria a morte do filho de Dani?

    Quanto à Arya não vejo a menor chance do treinamento dela ser algum plano maior. Ela esteve muito tempo à mercê da sorte antes de pensar em ir pra Bravos. Podia ter morrido, ou ser capturada pelos Leões etc. e não havia nenhum protetor para garantir qualquer destino para ela. Creio que o plano maior tem a ver com a vingança e o sangue Stark que é mais forte nela que em qualquer outro. A semelhança com a tia, com o pai, o norte se lembra, e acho ela uma oposição direta à irmã, Sansa não representa o norte, e apesar de estar amadurecendo e aprendendo, não creio que ela jamais será digna de herdar o Norte.

    Mindinho é com certeza um jogador hábil, mas também tem suas limitações. Tanto que se perde em manobras idiotas, como o testemunho de Sansa na morte de Lysa. Sansa está nas mãos dele, mas isso e outras jogadas ruins demonstram que ele também é limitado, como todos os outros jogadores. Ele tem uma boa visão, mas não pode ter controle de tudo. Assim como Tywin, que morreu comum sentado em uma latrina com uma puta na cama.

    Não creio que a missão de Jaqu’n seja matar dragões, acho que ele está infiltrado na cidadela com o objetivo de destruir o poder dos Meistres, que na minha opinião, assim como a Fé e as demais religiões brigam por um lugar ao sol, tal qual vimos acontecer na história mundial na briga da Igreja Católica para dominar a Europa na idade média. Coisas de religião sempre foram assuntos de Guerra, e vi que o Martin deixou bem claro o papel das Ordens na manipulação de informações e pessoas no último livro.

    Não consigo deixar de fazer um paralelo entre o desenvolvimento de ASOIAF e a história mundial. E vejo a cidadela como uma Alexandria.

    Temo que o que resta de tempo pra ASOIAF seja curto para tudo que poderiai ser desenvolvido em termos de narrativa, e acho que as coisas devem se intensificar no próximo livro. Isso me deixa um medo sobre uma possível quebra de coerência.

    Quanto à carta de Bolton, também me apeguei a ordem cronológica. Um detalhe, se ele tivesse capturado Stanis, saberia que Theon e a falsa Arya estavam no acampamento. Mas é o que ele pede a Jon, portanto caíram aí minhas dúvidas quanto a possibilidade da carta ser verdadeira. Mesmo que os dois tivessem fugido, Asha, e o banqueiro sabiam que os dois não tinham ido pra Muralha.

    Senti falta de uma teoria a respeito de Dorne.

    Enfim, muitas coisas pra acontecer. O Martin sempre me surpreende, e até a frieza que ele trata determinadas questões são boas pra nos fazer pensar que esse mundo maniqueísta não existe, nunca existiu, e que até na ficção, a realidade é bem vinda.

    Fiquei desapontada com o capítulo liberado de Arya, acho que a despeito de bem construído, Raff ter simplesmente aparecido em Bravos foi meio forçado, e aí meu medo sobre a coerência de alguns destinos esperados. Mas foi bom pra vermos até onde a frieza da garota chegou, a ponto de seduzir, beijar, e se deixar apalpar por alguém que ela planeja matar por anos. Não creio que ela vá deixar sua vingança de lado, e temo pelo destino de Sansa, já que Arya nunca soube o papel que ela desempenhou na morte do pai. Ela vê a irmã ao lado dos Lannister no dia da execução do pai, mas nunca soube que Sansa é que contou pra Cersei os planos de Ned e nem que foi ela que convenceu o pai a confessar a traição. Por mais que ela fosse ingênua, um instrumento no jogo, não acredito que Arya perdoaria tamanha estupidez.

    Não tenho certeza se foi você quem disse que Sansa sofreu muito pelo que fez, mas não concordo. Acho que ela merece muito mais, e por mais que eu saiba que Martin não é assim (maus atos punidos, bons atos premiados) comparo a jornada dela com a dos irmãos, ou mesmo com Danny, e acho que ela não sofreu nada do que merecia.

    Culpam muito a mãe dela pro ter prendido Tyrion, mas ela, que é muito parecida com a mãe, egoísta e estúpida, é quem realmente foi culpada de todas as mazelas da família. Se eles tivessem fugido para o norte, como era o plano do pai, a família não teria sofrido o que sofreu. É claro que não teria tanta graça o livro, etc. mas pra mim ela é pior que a mãe. Espero que ela sofra muito ainda e tenha um final como ela merece, algo como o que aconteceu com a mãe dela.

    Robb pagou com a vida, além da vida de muitos companheiros pela burrice do casamento. E foi muito menos do que a Sansa fez, ela denunciou o pai, e mesmo depois de ter visto tudo que a rainha fez com todos que estavam na comitiva do pai, até a própria irmã, ela ainda acreditou na rainha e traiu o pai mais uma vez.

    “Ah ela apanhou do Joffrey, sofreu tortura psicológica,.. “blá blá blá. Foi pouco! Sempre alguém salvava a mocinha. Depois casou com o Tyrion, que por mais feio que fosse, sempre tratou ela muito bem, e o que ela fez? Humilhou ele na frente de todo mundo. Acho que ela aprendeu muito pouco pra quem já fez tanta burrice causando o sofrimento dos outros. Culminando na morte da tia, que apesar dos pesares a acolheu. E sim, ela teve culpa! Se tivesse sido mais espertinha teria percebido as intenções do Mindinho, ela gosta de ser assediada, de se sentir a linda, a princesa por quem matam e morrem, e não creio que ela vá mudar muito.

    Enfim, desabafei. rss

    Parabéns pelo blog, e espero que o sexto livro chegue logo!

    1. Oi, adorei seus comentários, tb creio que o papel da Arya é o de ser a espada vingadora do Norte que se lembra…
      Tb acho que a Sansa precisa de algum modo se redimir ou sofrendo ou se sacrificando…
      Vou procurar este capitulo da Arya porque ainda não li e parece que vai de acordo ao que acreditava que seria o destino dela…
      Terra de Inverno não é lugar pra Dragões, acho que os meistres tem ligações com as maegis de Ashai e devem tentar se libertar dos freios da Fé e ai tb concordo que a Cidadela me lembra de Alexandria… olha o que aconteceu com esta…
      É estranho pensar que os Dragões que trazem de volta a magia, trazem tb os WW o que entendo que não deixa de ser tb uma magia…
      Tb sinto falta de um post sobre Dorne, olhe ai Drunkie!!!!!!
      Abçs

  5. Não sei se só eu pensei nisso, mas acho que a Adara era uma White Walker, ela recebeu o toque do inverno durante o parto e ficou uma criança de pele fria, olhos azuis, que não tinha muitos sentimentos com a familia e que amava o frio, aí quando ele sentiu algum amor pela família o calor voltou pro corpo dela, e o dragão de gelo se sacrificou para salvar a família dela, e ela se voltou a ser humana, sei lá, nada me tira da cabeça que se tem mesmo alguma ligação entre as histórias e o dragão de gelo se passou em Westeros, ou outro lugar das cronicas, que a Adara era uma White Walker, ou de certa forma uma especial antecedente aos white walkers de hoje, nós vimos na série como um toque transformou um bebe em WW, faz todo sentido pra mim. Alguém concorda comigo?

  6. Adoro as ligações de suas teorias com os outros livros de Martin. Me faz refletir muito sobre a história e relembrar partes que havia esquecido.
    Um comentário acima sobre Sansa, concordo plenamente com o que foi dito. Espero de “camarote” o sofrimento da mesma, pois ela foi a causa da destruição da família Stark.

Obrigado!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s